Uma possível segunda onda e gastos pesa os mercados do mundo.

Agenda fraca no exterior deixa a atenção dos investidores voltada para as novas restrições impostas pelo coronavírus ao redor do mundo. Importantes centros econômicos têm reforçado suas medidas de isolamento social, o que pode levar a um novo impacto na economia.

Assim, o dia começa com a cautela imperando nos mercados internacionais. Duas negociações também estão no radar dos investidores: na Europa, é o Brexit. Nos Estados Unidos, o novo pacote de estímulos fiscais.

No entanto, no Brasil, temos a divulgação da inflação de novembro, indicador que o mercado local deve acompanhar de perto. Além disso, os investidores acompanham de perto qualquer novidade relativa ao teto de gastos.

Em meio às preocupações com o crescimento da segunda onda do coronavírus pelo mundo, o teto de gastos voltou a angustiar o mercado, fazendo o Ibovespa recuar pela primeira vez em cinco sessões.


A notícia que azedou o humor dos investidores dizia que a minuta do projeto substitutivo da PEC Emergencial prevê que as despesas financiadas com a receita vinda da desvinculação de fundos públicos não sejam submetidas ao teto de gastos, regra constitucional que limita o aumento do dispêndios à inflação do ano anterior. Em resumo, seria uma 'pedalada' para financiar programas sociais.

O Ministério da Economia e o ministro Paulo Guedes correram para negar que se estude uma flexibilização do teto de gastos. Mesmo assim, o principal índice acionário da bolsa brasileira não conseguiu se recuperar totalmente, fechando o dia com leve queda de 0,14%.

Embora tenha reduzido o recuo ao longo do dia, o dólar também fechou em leve queda, de 0,1%, aos R$ 5,12 no spot.


Os Estados Unidos alcançaram a marca de mais de 174 mil novos casos de covid-19 em um único dia e cerca de 1.100 mortos. Só nos últimos dias, mais de 1,3 milhões de pessoas foram infectadas.

A situação mais preocupante está na Califórnia, estado líder no números de infecções e que endureceu as medidas restritivas para conter a disseminação do vírus. Na Europa, novos recordes diários também estão sendo registrados.

No velho continente, o impasse em torno de um acordo comercial para o período pós-Brexit também pesa nos mercados. Durante a madrugada, as bolsas asiáticas fecharam em queda, refletindo o cenário desfavorável. O mesmo acontece com as principais praças europeias e os índices futuros em Nova York nesta manhã.


A inflação segue em posição de destaque na agenda brasileira. A expectativa é que o IPCA de novembro (9h) apresente uma desaceleração, indo a 0,78% no mês.

A participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, em um evento virtual (10h30) também fica em destaque, com os investidores buscando novas informações sobre o cumprimento do teto de gastos. O ministro deve reforçar que o governo não irá flexibilizar o teto, nem mesmo de forma temporária.



Antes de falar em investimentos, vamos falar de alta performance. Nosso maior objetivo é entender as pessoas, processos e tecnologia. Entre em contato com a gente e venha fazer parte do nosso universo.

Instagram

REDES SOCIAIS

Copywrite Hightrading 2017 © Todos os direitos reservados.