Morning Call 30/04

Bom dia,

Números ruins do PIB europeu tiraram força do pregão na Europa e da negociação dos índices futuros em Nova York. Mostrando os impactos do coronavírus no continente, a França entrou oficialmente em recessão. A notícia espanta o otimismo gerado com o aparentemente avanço das pesquisas com o antiviral Remdesivir para o coronavírus.

Ontem, a notícia de que o ministro Alexandre de Moraes, do STF, suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para o commando da Polícia Federal, trouxe mais instabilidade a cena política. O governo deve recorrer da decisão.

O balanço da Vale, a alta do petróleo e a decisão do Federal Reserve também serviram para dar força ao Ibovespa, que fechou o dia com alta de 2,29%, aos 83.170,80 pontos. Boas notícias também no câmbio. O dólar caiu 2,9%, a R$ 5,3552. A última taxa Ptax de abril deve adicionar alguma pressão no dólar.

A decisão do Federal Reserve, banco central americano, de manter a sua política monetária atual repercutiu positivamente nos negócios. Atualmente o juro está na faixa de 0% a 0,25%. A instituição garantiu que continuará com os seus programas de estímulos, visando ajudar a economia americana neste momento de crise. Powell, presidente do Fed, disse que irá manter o juro no nível atual até ter confiança de que o país se recuperou da crise causada pela covid-19.

Os mercados internacionais voltam a renovar suas esperanças com um possível tratamento para o novo coronavírus. A empresa americana Gilead Sciences anunciou novos avanços nas pesquisas com o antiviral Remdesivir.

Na Ásia, os investidores ignoraram até mesmo os dados fracos do índice de gerente de compras chinês e as bolsas fecharam em alta. A indústria chinesa recuou de 52 em março para 50,8 em abril. O PMI medido pela IHS Markit e Caixin Media caiu de 50,1 para 49,4, próximo da barreira que separa a contração da expansão de atividade. Em fevereiro, a atividade manufatureira chinesa chegou a 35,7, na mínima histórica.

Enquanto na Ásia o otimismo prevaleceu, na Europa o dia até começou com os negócios no campo positivo, mas as preocupações econômicas no continente se sobrepuseram ao alívio. O Produto Interno Bruto da zona do euro recuou 3,8% no primeiro trimestre do ano. Essa é a maior contração da série histórica iniciada em 1995. Ainda assim, os resultados vieram em linha com as expectativas dos analistas. Também pela manhã, a França apresentou um recuo de 5,8% do PIB no primeiro trimestre - uma queda histórica e muito pior do que o projetado pelos analistas. O país entrou oficialmente em recessão.


Agora, os investidores seguem aguardando os balanços corporativos, que mostram a deterioração de muitas empresas frente ao coronavírus, e a decisão de política monetária do Banco Central Europeu. Os dados fracos da atividade econômica europeia também mina os índices futuros em Nova York, que operam sem direção única.

No Brasil, indicadores devem continuar dando as indicações do estrago causado pela covid-19 na economia.

A taxa de desemprego da Pnad contínua será divulgada às 9h. O resultado consolidado do setor público sai às 14h. O secretário de Desestatização, Sallim Mattar, participará de live produziada pelo Credit Suisse.


No exterior, além do PIB do primeiro trimestre da zona do euro, os investidores também ficam de olho na decisão de juros do Banco Central Europeu (8h45). Nos Estados Unidos, quinta-feira é dia de conhecer o número dos pedidos de auxílio-desemprego no país. Além disso, temos também o índice de atividade industrial (10h45).


Fonte: Seu dinheiro



Antes de falar em investimentos, vamos falar de alta performance. Nosso maior objetivo é entender as pessoas, processos e tecnologia. Entre em contato com a gente e venha fazer parte do nosso universo.

Instagram

REDES SOCIAIS

Copywrite Hightrading 2017 © Todos os direitos reservados.