Bolsonaro testa a humor dos investidores e mercado internacional segue ganhando força.

Bolsas internacionais seguem com fôlego para buscar mais ganhos, ainda impulsionadas pela esperança que em breve uma vacina deve estar disponível para aplacar a pandemia do coronavírus.

Enquanto isso, no Brasil, os ruídos políticos que chegam de Brasília deve ocupar a cabeça dos investidores em dia de agenda fraca. O principal destaque por aqui é a divulgação das vendas do varejo de outubro.

Enquanto as bolsas americanas adotaram um tom mais cauteloso na última terça-feira (11), o Ibovespa decidiu seguir o caminho contrário.

Ao fim do pregão, o principal índice da bolsa brasileira avançava 1,5%.


A onda de otimismo - impulsionada pela vitória do candidato democrata Joe Biden nos Estados Unidos e pelo andamento positivo de vacinas experimentais contra a covid-19 - já fez o Ibovespa subir mais de 12% em novembro.

Se ontem o cenário doméstico era de otimismo, hoje os investidores devem pesar os últimos pronunciamentos do presidente Jair Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro, ao ser questionado sobre a pandemia do coronavírus, disse que o país - que acumula mais de 160 mil mortos e 5,6 infectados pela doença, precisa deixar de ser de 'maricas' e enfrentar a doença.

Bolsonaro também endereçou as ameaças do presidente eleito americano, Joe Biden, de aplicar sanções econômicas ao Brasil pela falha em atuar contra o desmatamento, dizendo que o país pode utilizar de 'pólvora' para resolver conflitos.

E não é só o presidente que gera ruídos políticos em Brasília. Ontem, o ministro da Economia, Paulo Guedes, falou sobre o risco de hiperinflação no país.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, usou o Twitter para rebater as falas.


As boas notícias em torno da vacina da Pfizer seguem embalando os mercados no exterior e as bolsas buscam fôlego para manter o rali das últimas semanas.

As bolsas asiáticas fecharam com sinais mistos durante a madrugada, pressionadas pela proposta chinesa de regular o setor de tecnologia.

Na Europa, no entanto, o clima é positivo. Os principais índices do continente apresentam altas moderadas, na expectativa de que uma vacina surja logo.

Depois de um dia de correção, os índices futuros parecem prontos para encararem mais um dia positivo em Nova York.

Agenda de hoje é um pouco fraca, a atenção dos investidores deve mesmo ficar focada no cenário externo e nos ruídos políticos que chegam de Brasília.

A única exceção na agenda são os números das vendas do varejo de setembro (9h). A expectativa é que o índice avance 1,4% na comparação anual.

No exterior, os investidores monitoram discurso da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde (10h) e o relatório mensal da Opep, que pode mexer com o mercado de petróleo.



Antes de falar em investimentos, vamos falar de alta performance. Nosso maior objetivo é entender as pessoas, processos e tecnologia. Entre em contato com a gente e venha fazer parte do nosso universo.

Instagram

REDES SOCIAIS

Copywrite Hightrading 2017 © Todos os direitos reservados.